Publicidade

Publicidade

Cultura e Tradições

Cultura e Tradições

Cultura e Tradições | Fuente: iStock Photo

Cultura e Tradições

A cultura porto-riquenha é o produto da mistura de numerosas culturas, das quais se distinguem três principais: a taína, a espanhola e a africana. A influência destas culturas foi tão forte na Ilha que, com o passar dos anos, herdámos inúmeros costumes e tradições destes antepassados. Alguns nomes de localidades, alimentos, objectos e utensílios domésticos foram herdados dos taínos. Actualmente, objectos como as famosas camas de rede que os índios utilizavam para descansar, podem ser observados nos lares porto-riquenhos.

Dos espanhóis herdámos a religião católica e a língua espanhola. Os africanos, por seu turno, legaram-nos o sabor dos ritmos da "bomba" e da "plena" e a dança. Destes últimos, herdámos também os seus instrumentos de percussão como os tambores e as maracas.

Porto Rico adoptou também muitos costumes da cultura norte-americana, de que constitui território desde 1898. Devido a esta estreita relação com os Estados Unidos, os porto-riquenhos aprenderam a fundir o seu idioma espanhol com o inglês, criando o que se conhece como spanglish (espanglês).

Muitos utensílios destes antepassados, em especial dos taínos, foram encontrados em descobertas arqueológicas em toda a Ilha. A maioria destes artefactos é conservada em museus e universidades do País.

No que respeita à arte e literatura, Porto Rico produziu uma geração de artistas e escritores destacados, tais como: Julia de Burgos, Eugenio María de Hostos, José Gautier Benítez, José Campeche e Francisco Oller, entre outros. Muitos deles ficaram conhecidos a nível mundial pelos seus poemas, publicações e obras de arte. Os artistas porto-riquenhos também colaboraram para promover a indústria cinematográfica na Ilha.

Porto Rico também se afirma no campo musical. Entre os ritmos folclóricos culturais contam-se a "bomba", a "plena" e a "trova" ou música "jíbara". No entanto, a Ilha conta com artistas que se destacam a nível internacional em géneros como salsa, merengue, música pop e "reggaetón". Artistas como Ricky Martin, Luis Fonsi, Chayanne, Victor Manuel, Olga Tañón, Ednita Nazario, Daddy Yankee e Wisin y Yandel, entre outros, elevaram o nome de Porto Rico bem alto.

Para conheceres um pouco mais a cultura da nossa Ilha, convidamos-te a visitar o portal do Instituto da Cultura Porto-riquenha (ICP). Esta instituição governamental é responsável por conservar, promover, enriquecer e divulgar os valores culturais de Porto Rico e conseguir o mais amplo e profundo conhecimento e apreço dos mesmos.


Tradições

A cultura porto-riquenha é manifestada ao longo de todo o ano, mas mais acentuadamente na quadra natalícia, quando se ouvem nas casas as tradicionais "parrandas". As "parrandas" assemelham-se às serenatas que levam familiares e amigos às casas dos seus próximos. Esta tradição costuma celebrar-se durante a madrugada para apanhar de surpresa o familiar e fazê-lo despertar.

Curiosamente, os porto-riquenhos celebram uma das épocas de Natal mais longas do mundo. Em Porto Rico a época tem início no dia 23 de Novembro e termina em finais de Janeiro com uma celebração local conhecida como as Festas da Rua San Sebastián.

Também se comemora com muito entusiasmo a tradicional Festa dos Reis, que as crianças celebram com os seus familiares para receberem os presentes que lhes foram trazidos pelos Reis Magos do Oriente.

Durante esta época destaca-se ainda a figura do jíbaro porto-riquenho, que caracteriza a Ilha. O jíbaro e a jíbara são personagens características de Porto Rico, que representavam a classe operária da antiguidade. Trajava camisa, calças, lenço ao pescoço, faca e chapéu tradicional. A jíbara, por seu turno, vestia blusa, saia comprida e uma papoila no cabelo.

Além da tradição natalícia, os porto-riquenhos celebram a chamada Noite de São João (o Baptista), onde a maioria das pessoas se dirige às praias da Ilha para saltar de costas sete vezes, às 12 badaladas da meia-noite. Para os habitantes, este ritual permite-lhes "livrar-se da má sorte". É como uma espécie de "baptismo". As pessoas celebram o evento com música, dança, petiscos e bebidas.